frame_new.gif (40245 bytes)

 

Globalização


O que é Globalização?

Globalização é uma noção imprecisa (e ideológica) para designar o processo de mundialização do capital que caracteriza a nova etapa do desenvolvimento capitalista no limiar do século XXI.

Globalização é um novo regime de acumulação capitalista predominantemente financeiro que imprime a sua marca sob as mais diversas esferas da sociabilidade capitalista.

Globalização é uma fase sócio-histórica qualitativamente nova do capitalismo mundial que não pode ser identificada apenas com o processo de constituição do mercado mundial, que ocorre desde o século XV, nem pode ser identificada apenas com o imperialismo, uma fase superior do capitalismo, que se desenvolve desde os primórdios do século XX.

Na verdade, é uma etapa superior do mercado mundial e do imperialismo sob a predominância do capital financeiro que tende a promover um deslocamente qualitativo no movimento de conjunto da economia e da reprodução sistêmica do capitalismo mundial.

A globalização como mundialização do capital coloca, antes de tudo, novos e prementes desafios para a humanidade no limiar do século XXI.

 

A GLOBALIZAÇÃO E A NOVA ORDEM MUDIAL

1 - CONCEITO

GLOBALIZAÇÃO é um processo social que atua no sentido de uma mudança na estrutura política e econômica das sociedades, ocorrendo em ondas, com avanços e retrocessos separados por intervalos que podem durar séculos.

Historicamente, poderíamos citar quatro grandes globalizações:

IMPÉRIO ROMANO: através da força buscava-se formação do grande império. Tudo acontecendo enquanto os gregos filosofavam.;

GRANDES DESCOBERTAS: ocorrida entre os séculos XIV e XV, desvendaram-se novos continentes e foi aberto o caminho da Índia e da China;

SÉCULO XIX: logo após as Guerras napoleônicas quando ocorreu a colonização européia da África e da Ásia; o tratado de livre comércio entre França e Inglaterra; etc.

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL: após a Segunda Guerra atingindo seu ápice com o colapso do socialismo em 1989/91.

 

2 - ASPECTOS POLÍTICOS

O papel do Estado diante da nova realidade mundial é um dos aspectos mais discutidos da Globalização, no seu ângulo mais político, com alguns estudiosos já antevendo o fim ou inutilidade do Estado.

A Globalização é um renascimento capaz de produzir uma revolução mundial nos planos de produção, produtividade e riqueza, impondo aos países e seus governantes uma realidade à qual devem se ajustar implacavelmente ou morrer no ostracismo da história. Entretanto, não há, na prática, uma receita pronta para o Estado ideal, orientando-se cada realidade por sua cultura nacional.

Nesse contexto, em face do Brasil ser um Estado patrimonialista, a reforma administrativa par torna-lo mais eficiente é considerada por demais complicada. Assim, vem sendo elaborado para o País um projeto de reformulação radical do Estado brasileiro através da implantação do Estado gerencial, apadrinhado por Luiz Carlos Bresser Pereira desde 1990, e que apresenta como características:

Em suma, a emenda da Reforma Administrativa é essencial para a reinvenção do Estado, com alguns estudos de organismos mundiais reconhecendo que o Estado é a pedra angular das economias bem sucedidas. Para o Bird, por exemplo, o Estado eficaz precisa canalizar suas energias nas áreas básicas em que atua melhor e revigorar as instituições públicas, não existindo. Entretanto, uma receita única e sim uma estratégia de duas partes: a) tornar o papel do Estado mais compatível com sua capacidade e b) traçar regras de incentivo para que os funcionários trabalhassem melhor e fosse mais flexíveis.

 

3 - ASPECTOS ECONÔMICOS E SOCIAIS

 Globalização da economia significa integrar os mercados em nível mundial no sentido de que um produto, independentemente de sua origem ou procedência possa estar oferecido para consumo em qualquer parte do globo terrestre.

Algumas características definem este tipo de globalização:

A principal entidade dentro da atividade econômica é o mercado, que tem como características, os seguintes tipos de operações:

TROCA VOLUNTÁRIA: o escambo foi a primeira forma de mercado;

LIMITES DA POLÍTICA ECONÔMICA: o sistema de mercado parece mais um jogo de troca, no qual todos os jogadores beneficiam-se por nele estarem envolvidos, limitados a regras que governam as trocas de mercado, buscando tratar todos com igualdade e dar o máximo de chances de cada um;

REDE DE PREÇOS: é o sistema de comunicação do mercado. A recompensa de cada participante do jogo depende do preço pelo qual ele consegue vender seu produto no mercado. Este preço funciona como sinal que torna um indivíduo capaz de contribuir para a satisfação das necessidades de outras pessoas, ao mesmo tempo que se empenha para satisfazer as suas;

 A globalização sob o aspecto da conveniência do consumidor, pode significar conforto e interesse econômico, porque permite obter produtos de qualidade a preços diferenciados.

 Do ponto de vista social, a globalização apresenta sinais de ser cada vez menos inclusiva, homogeinadora ou convergente, aumentando a polarização entre países e classes quanto à distribuição de riqueza, renda e emprego.

 

4 - CONCLUSÃO

Com a revolução das comunicações, o processo de globalização tornou-se mais rápido, além de ter se tornado mais abrangente, envolvendo não só o comércio e capitais, mas também telecomunicações, finanças e serviços antes cobertos por várias formas de proteção.

Após a queda do muro de Berlim restou apenas o império americano, mas até quando?

O fato de ainda sermos um país em construção, apresenta uma dupla vantagem: não repetir os erros deles e construir um país preservando a nossa cultura e nossos valores. Nossos problemas ainda são muitos e só poderemos solucioná-los com criatividade, através da educação e da informação.

 


Depto. Pessoal Recursos Humanos Legislação Jurisprudência Testes Artigos
Quadro de Avisos Informativos CD-Rom Trabalhista Suplementos Cursos Serviços
Chat DP/RH Consulta Assinatura Chefia & Liderança Negócios & Parcerias Principal